SEQÜENCIA DE FILME ‘A REDE SOCIAL’ ABORDARÁ VIDA DO COMPOSITOR BAIANO DORIVAL CAYMMI.

13 de Fevereiro de 2011

LOS ANGELES – Os estúdios Columbia surpreenderam a todos ao anunciar a sinopse da aguardada segunda parte do filme que narrou as origens e intrigas nos bastidores da ascensão do Facebook, a maior comunidade virtual do mundo, atualmente conectando cerca de 550 milhões de pessoas de vários países.

A seqüência não mais se concentrará na virtualidade, enfocando, ao contrário, o que há de natural e espontâneo nos sociedades costeiras do estado brasileiro da Bahia – sua sociabilidade e famigerada simpatia. As redes baianas têm o seu código aberto, costumam ser manufaturadas com algodão cultivado sem agrotóxicos ou fertilizantes e, ao contrário da sua contraparte americana, têm um efeito relaxante sobre seus usuários.

A vida de Dorival Caymmi, que até os 94 anos de idade experimentou uma vida repleta de realizações e interações com milhares de pessoas embora passasse 80% do seu dia deitado numa rede, é expressão, de acordo com a apresentação exibida aos jornalistas, de um estilo de vida que se sintoniza com o desejo contemporâneo por tudo aquilo que é orgânico.

Apesar do sucesso do filme e do site, especialistas em tecnologia observam que já é possível perceber uma ressaca da superexposição ocasionada pela ‘idade das redes sociais’. “Pela primeira vez a taxa de crescimento, isto é, de milhões de novos usuários por dia, caiu de 9 para 8,5. É o fim de uma era, sem dúvida” escreveu Cory Doctorow em artigo no jornal inglês The Guardian.

Um descontraído David Fincher, diretor da franquia, trajando um conjunto de linho branco e chapéu de palha, respondeu a todas as perguntas de forma cortês, contado casos pessoais e fazendo piadas descontraídas a respeito dos repórteres presentes. “O que nos interessa agora é revelar a todos formas diferentes de se viver, Marck Zuckerbeg foi um pioneiro, mas 70 anos antes dele viveu esse grande homem que foi Dorival. A verdadeira arte nos ensina a viver. Por isso batizarei o filme, numa lavagem, é claro, de ‘A Rede Dorival’”

A repercussão da notícia animou baianos célebres. Nizan Guanaes, em seu twitter, ufanou-se de seu estado natal: “a Bahia, como diz a minha própria música , é a terra da felicidade. Mas o mais interessante dessa história toda é que aqui já operamos uma fusão do Facebook e do LinkedIn muito antes dos dois existirem. Sabemos fazer negócio dando risada. A @OAS e a @Odebrecht têm um faturamento maior do que todas as outras empreiteiras brasileiras somadas. Bahia, estado do futuro!!!! Se nós conseguimos construir o aeroporto de Miami, conseguiremos reinventar as redes sociais. Só espero que o Chiclete com Banana não participe da trilha sonora.”

A repercussão entre os cariocas, acostumados a ser o centro das atenções internacionais, contudo, não foi das mais calorosas. Oskar Metsavath, estilista da marca Osklen, declarou sua oposição em entrevista à Ipanema TV: “Lifestyle Rio United Kingdom of Ipanema lifestyle açaí brazilian soul Rio, lifestyle lifestyle more Rio lifestyle.”

Seção Veja bem

9 de Maio de 2010

Capa Serra Texto Gay

LUZ NO FIM DO TÚNEL: BARRA DE CEREAIS NESTLÉ É PRIMEIRO SINAL DE LOCALIZAÇÃO DA CENA DO ACIDENTE

3 de Junho de 2009

ResmadeSP_0603

EM COLETIVA, MINISTRA-CHEFE DA CASA CIVIL AFIRMA: “PELO MENOS ELES NÃO TÊM MAIS CÂNCER

2 de Junho de 2009

FOLHA EDUARDO

SEÇÃO QUEREM ACABAR COMIGO

1 de Junho de 2009

Roberto Carlos
“Jorge Bornhausen chegou ao edifício Abril no começo da noite, acompanhado de Antônio Martins, seu assessor de imprensa, e Mauro Salles. Conversou brevemente com Roberto Civita. Em nenhum momento ele pediu que Civita não publicasse a entrevista. Quis saber o que Pedro Collor falava e o dono de Veja lhe disse que era melhor conversar comigo. Recebi o ministro em minha sala, junto com Tales Alvarenga e Paulo Moreira Leite. Ele lamentou a crise provocada pelo irmão do presidente. Disse que o ministério fora totalmente reformado e o governo estava recomeçando em novas bases. Não pediu que a entrevista não fosse publicada, mas indagou se nela havia fatos graves.
–De que tipo, ministro?, perguntei.
–Por exemplo, tem corrupção?
–Tem.
–Tem drogas?, prosseguiu Bornhausen.
–Tem.
–Tem sedução?
–Tem.
–Tem rabo?
–Como, ministro?
–É, tem rabo, homossexualismo?
–Não, não tem.
Bornhausen interrompeu o questionário. Conversamos mais um pouco e ele foi embora”

Em “Notícias do Planalto” de Mario Sergio Conti

COM “SE EU FOSSE VOCÊ 3”, DANIEL FILHO POLEMIZA E É OVACIONADO EM CANNES

28 de Maio de 2009

bee21
bee (1)

PROMESSAS
Desde 1962, quando Anselmo Duarte trouxe na mala a Palma d’Ouro por o Pagador de Promessas, as amplas salas de cinema da Croisette não faziam retumbar em seus interiores aplausos tão sonoros destinados a um diretor brasileiro. Na última quinta-feira, quando “Se eu fosse você 3” teve a sua premiere mundial, Daniel Filho conseguiu agradar grande parte do exigente público de Cannes, desagradando apenas um pequeno grupo de convidados que deixou a sala pouco antes do meio da projeção aos gritos de “merde” e “incompréhensible”.

PANTEÃO
Tais polêmicas não são infrequentes num festival que reúne todos os anos estréias daqueles que são considerados os mestres do cinema contemporâneo; aqueles que já não tem mais exibições garantidas no circuito multiplex, mas que ainda vêem em Cannes a premiação máxima do cinema mundial. Neste ano, a lista de selecionados para a mostra competitiva incluiu tanto mestres do calibre de Francis Ford Coppola, Michel Haneke e Michael Bay quanto os provocateurs Lars Von Trier, Chan-wook Park e Daniel Filho.

DÉJÀ VU
A produção brasileira, novamente estrelada por Gloria Pires e Tony Ramos, reproduz o singelo drama das versões anteriores em que os protagonistas trocam de corpo experimentando as agruras do cotidiano do parceiro. As novas provações do casal incluem a gravidez temporã de Helena e uma esclarecedora sessão com o psicanalista do personagem masculino interpretado pelo calejado ator Global. A rigor, a raison d’être do filme é análoga a dos anteriores, construindo variações apenas periféricas.

CRIADOR
Em entrevista coletiva após a sessão, Nonato Estrela, diretor de fotografia tanto da segunda como da terceira versão fez uma defesa veemente da sua equipe: “A estética é toda orientada pelo padrão Globo de qualidade. Acho que não devemos mais temer afirmar isso com todas as letras. É o projeto mais coeso já articulado desse lado dos trópicos. É close, plano e contra-plano, mesmo. Todo código gera seus inovadores e diluidores; tenho certeza de que Daniel pertence ao primeiro time”.

LOAS
Com críticas francamente favoráveis, são altas as chances de “Se eu fosse você 3” arrematar algum prêmio do júri. O crítico americano Cuf Pudek, da publicação americana Variety chamou o filme de um “resultado que só pode ser atingido por um virtuose. Prova de que o talento triunfa mesmo com tantas limitações quanto aquelas impostas pelo código estético da teledramaturgia brasileira”. A Cahiers du Cinema, habitualmente suspeita de qualquer produto que aproxime-se de uma sensibilidade popular aclamou o filme como “um autêntico filme de gênero; um exercício bruto acerca da alteridade”.

AVAL
O establishment do Festival de Cannes se fez ouvir duas vezes. A primeira declaração veio do presidente do festival, Thierry Frémaux, que instado a se manifestar sobre uma das polêmicas do ano, não se acanhou em tomar partido: “Cannes sempre foi uma vitrine para propostas radicais de cinema. Desde Glauber não detectávamos a emergência de um realizador tão instigante. Impressiona-me sobretudo o seu projeto de anti-cinema, do peremptório e calculado calar sobre todas as questões que inquietam os seus contemporâneos”.

A segunda e auguriosa opinião partiu da presidente do júri deste ano, Isabelle Hupert. Fazendo pouco da querela,a atriz francesa disse que ”as reações aos filmes de monsieur Filho são as mesmas legadas a, por exemplo, as obras de Duchamp: “até meu filho faria isso”. Précisément !”.

FOLHA PUBLICA MAPA ASTRAL DE DILMA EM PRIMEIRA PÁGINA; AUTENTICIDADE É QUESTIONADA

28 de Abril de 2009

folha-copy

CRISE
Alguns dias após admitir ter publicado a ficha criminal da então jovem Dilma “Vana” Roussef sem a devida comprovação de autenticidade, o jornal Folha de São Paulo se viu novamente enredado numa crise de relações públicas ao divulgar informações potencialmente inverídicas a respeito da Ministra-Chefe da Casa Civil.

PALPITE
A peça do repórter Fabio Racd, publicada no dia 27 de abril, afirma que o mapa em questão se encontra nos anais de Golbery do Couto e Silva, o mesmo arquivo utilizado por Elio Gaspari na composição dos livros integrantes das séries “As Ilusões Armadas” e “O Sacerdote e o Feiticeiro”, uma minuciosa investigação histórica da ditadura militar brasileira. Segundo Gaspari, “não é impossível que uma evidência dessas tenha sido parte do acervo de Couto e Silva. O seu apelido de quartel era Bruxo por causa de suas inclinações místicas. Pouca gente sabe disso, mas o SNI [Serviço Nacional de Informação] guardava em suas gavetas perfis astrológicos de diversas figuras consideradas subversivas. Agora, a minha opinião é que esse mapa é fabricado uma vez que alguém de um signo de fogo com lua em aquário nunca teria tido o ímpeto de fazer as coisas que Roussef fez; ela com certeza tem a lua em escopião.”

CONSELHO
Na manhã do mesmo dia 27 a Casa Civil emitiu um comunicado público em que nega peremptoriamente a validade do mapa astral. “A hora de nascimento da Ministra-Chefe da Casa Civil é dado confidencial e não se encontra disponível em nenhum arquivo público. O documento revela a candidatura presidencial da Ministra no pleito de 2010, algo que absolutamente não esta confirmado. Ademais, a Casa Civil gostaria de lembrar todas as vivandeiras de redação que o projeto do Conselho Federal de Jornalismo não foi arquivado.”

CONCLUSÃO
Uma das reações mais virulentas ao episódio veio do filósofo e astrólogo aposentado Olavo de Carvalho. Em artigo publicado no jornal Extra, Carvalho recorre a argumentos astrológicos e escatológicos para justificar a sua posição: “Só uma degenerado com uma cloaca excretora no lugar do cérebro não consegue enxergar que esta tudo lá no mapa: o Foro de São Paulo, a candidatura de Dilma, a cura do seu câncer, o golpe que virá e até mesmo o assassinato de Lula em 2011”.

DÚVIDA
A confirmação da veracidade do mapa é difícil devido à privacidade do arquivo. Todos os documentos do SNI foram destruídos nos anos de desmonte do regime militar e ao contrário dos arquivos do DOPS [Departamento de Ordem Política e Social], aos quais é permitida a consulta pública, o mapa da Ministra-Chefe se encontraria sob a guarda dos filhos de Heitor Ferreira, secretário de Golbery. Emilio Ferreira, 95, um dos depositários do espólio, diz ter permitido a pesquisa a alguns repórteres: “não me recordo bem, mas eles vieram juntos e eram tão simpáticos! Louvaram a memória de papai e do Golbery e bateram continência, então sabia que eles não tinham intenções subversivas”.

IMPOSSIBILIDADE
Inquirido pela reportagem se o jornal teria cometido o mesmo erro duas vezes em menos de um mês, Racd, autor das reportagens, se defendeu: “Veja bem, a autenticidade da Astrologia como um todo não pode ser assegurada, bem como não pode ser descartada. O que eu posso garantir é que o mapa estava na mesma pasta “Arquivo de SP” em que se encontrava a ficha criminal de Dilma.” Questionado se havia se certificado da origem do documento, José Simão, chefe do departamento de checagem da Folha de São Paulo, afirmou apenas: “Buemba! Buemba! Vou pingar meu colírio alucinógeno. Nois sofre mas nois goza!”

MOÇA QUE ENGRAVIDOU DE RONALDO TERIA ALEGADO SER TRAVESTI

24 de Abril de 2009

huahin

Pri Ottatsu mantém uma rotina disciplinada: trabalha nas noites de quarta a domingo circulando entre as avenidas Atlântica e Prado Júnior, a última área da Zona Sul carioca onde é possível exercer o meretrício sem maiores constrangimentos.
A prostituta de 28 anos mora no morro da Babilônia, divide uma casa modesta com sua mãe, tira em média dois mil reais por mês do seu trabalho e, não fosse uma noite em maio do ano passado, continuaria sendo conhecida como “japonesa” por colegas de profissão, clientes e vizinhos.

Nível de Brasil – É verdade que a senhora esta grávida de Ronaldo Fenômeno?

Pri Ottatsu – Não.

NB – Mas a senhora havia dito…

PO – (Risos) Meu filho. Em primeiro lugar, pode ir parando de me chamar de senhora. Eu tô só te sacaneando por causa dessa formalidade toda. Sim, é verdade. Eu estou grávida de Ronaldo Fenômeno e quero ter o meu bebê aqui no Brasil.

NB – Como isso aconteceu?

PO – Como você pode perceber, eu tenho 1,85 de altura; de salto posso ficar com mais de 2 metros. Então toda hora pensam que eu sou homem. Nem me incomodo, não. Sou amiga de todas as travas lá da Prado. O chato é que tem cliente que não acredita, tenho que mostrar no ato que não tenho um pau. Aconteceu que um dia eu tava conversando com os meninos na Atlântica e de repente chegou um carrão daqueles. O motorista tava com muita pressa, catou eu e mais dois meninos sem perguntar nada e logo arrancou. Eu tinha sacado que eles achavam que eu era travesti, mas resolvi ficar calada e ganhar minha grana. O pior que podia acontecer a mim era ser jogada para fora do carro em movimento.

NB – Quem estava nos bancos da frente?

PO – Tinha um gato incrível dirigindo o carro, acho que o nome dele era Rômulo. No carona estava Ronaldo. Eu quase tive um treco quando percebi quem estava na minha frente. Não só pela fama e pela grana dele, não. Eu sempre fui apaixonada por ele; desde os tempos em que era conhecido como Ronaldinho. Eu tenho álbum com recortes dele em casa, vários pôsteres, sou tiete mesmo.

NB – Vocês conversaram?

PO – Não. Eles estavam muito bêbados e a música tava muito alta. Fiquei calada na minha. Não queria arriscar perder uma noite de amor com ele de jeito nenhum.

NB – No ato ele não percebeu que você era uma mulher?

PO – Gato, imagine que éramos 5 num quarto escuro; quase todo mundo bêbado ou pancado. Lá pelas tantas eu fiquei de quatro, ele enfiou num buraco pensando em outro e pronto! Ali naquele momento o nosso amor gerou um filhote.

NB – Quais são seus planos ?

PO – Assim que meu filho nascer eu vou pro Japão ser gueixa na vida.

NB – Há algum personagem histórico com quem você se identifica?

PO – Luciana Gimenez, é claro.

INSATISFEITO COM 84% DE APROVAÇÃO, LULA MIRA PÚBLICO INFANTIL

19 de Abril de 2009

LULA/BRINCADEIRA

POPULISMO
Afaste um presidente do povo e as pesquisas de opinião naturalmente se tornarão os porta-vozes das urnas. Ao observador ingênuo pareceria que tanto mais querido é um líder eleito quanto melhor é a avaliação de seu governo; existe, porém, uma particularidade latino-americana tornando essa identidade um pouco mais complexa: a relação de afeto frequentemente verificada entre eleito e eleitores. É essa conexão, afirma Eduardo Pereira Nunes, presidente do IBOPE, que “torna os índices de aprovação pessoal do presidente e de seu governo estranhamente descolados”. Em março último, por exemplo, 84% aprovavam Lula “da Silva” enquanto apenas 13% avalizavam a sua gestão.

O que seria motivo de comemoração para qualquer outro dignitário decepcionou o presidente brasileiro. Segundo funcionários do Palácio do Planalto, Marco Aurélio Garcia, assessor especial, teria convencido o presidente de que os 16% restantes eram “ou leitores de VEJA ou fedelhos, grupos especialmente resistentes à mudança de opinião”. A partir daí voltou-se para as crianças o caro arsenal de relações públicas do Palácio do Planalto.

PROGRAMAS
A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República anunciou o lançamento de uma série de campanhas destinadas a educar o público infantil acerca das atribuições do presidente, da divisão dos três poderes e das esferas estaduais e municipais do poder executivo. No centro do esforço midiático esta um desenho animado produzido por Maurício de Souza: “Turma do Lulinha” seguirá o modelo dos desenhos animados americanos e japoneses exibidos em programas matinais como Show da Xuxa e Parque da Eliana. Segundo o desenhista, a escolha dos personagens foi feita pelo próprio presidente, que selecionou Dona Marisa Letícia, Dilma “Vana” Roussef e Gilmar Mendes como seus amigos e Protógenes Queiroz e Fernando Henrique Cardoso como antagonistas “valentões”. As historíolas terão lugar na fictícia cidade ABClândia, onde os personagens levarão uma vida simples e despreocupada, sendo apenas ocasionalmente perturbados pela imprensa e pelos habitantes da rica cidade vizinha, todos brancos de olhos azuis.

Sob a superfície midiática operam as engrenagens da burocracia: o mesmo decreto que determinou o início do programa reservou vinte minutos na grade matinal das TVs abertas para a exibição da “Gincana com o Presidente”, no qual “da Silva”, auxiliado pelas meninas Maysa e Sasha, conversará e fará brincadeiras com uma platéia de crianças. Segundo Reinhold Stephans (AA, Acre), ministro da agricultura, notório alcoólatra e coordenador da “Turma do Lulinha”, “pretendemos estabelecer uma conexão sincera com a criançada. O presidente revelará dicas de como receber o Bolsa Escola por mais tempo e compartilhará experiências interessantes, como por exemplo a melhor ocasião para se tomar o primeiro goró”

SANGUE
Tais medidas iniciaram grita quase imediata na oposição, que detectou no programa “Turma do Lulinha” o início da campanha Lula2014. “É um absurdo completo essa situação! Como se não bastasse cooptar jornalistas, empresariado e a oposição, Luis Inácio quer também o sangue dos meus filhos. Tenha santa paciência!” proclamou o deputado federal satanista Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM, BA).

SEITA PROTESTANTE RADICAL SARAH NOSSA PALIN CHEGA AO PAÍS CAUSANDO ESPÉCIE

9 de Abril de 2009

sarah-palin

LANÇAMENTO
Logo após a última eleição presidencial americana em novembro último cunhar Barack “Hussein”Obama como comandante-em-chefe da maior economia do mundo, a candidata da chapa Republicana derrotada anunciou os seus planos de tirar partido de sua então recém-conquistada notoriedade para “espalhar a mensagem do Senhor como napalm pelo terceiro mundo”.
O comunicado divulgado na internet especifica as metas da política e líder religiosa: convocar todos aqueles que se consideram bons cristãos a lutar a guerra contra o comunismo negro e o fascismo gay; angariar recursos para implantar definitivamente o reino de Jesus Cristo nos planetas Terra e Marte; e treinar lideranças políticas para que se comuniquem diretamente com o povo de Deus e vençam a batalha das urnas. O plano da seita Sarah Nossa Palin é abrir unidades em todas as capitais dos países em desenvolvimento com números significativos de cristãos, a começar por México, Brasil e Timor Leste.

CHAMADO
A comunidade evangélica brasileira se surpreendeu ao saber que Palin pretendia inaugurar uma unidade de sua religião em pleno Planalto Central. Segundo nota no site da atual governadora do Alasca, “um dia eu acordei e recebi uma ligação do Senhor me convocando a levar a minha missão de fé, armas e autenticidade a Buenos Aires, capital do Brasil”. Apesar da imprecisão, a mensagem foi ouvida: dezenas de milhares de fiéis se alistaram como “atiradores do Senhor” no sítio da líder religiosa e compareceram, armas a postos, à primeira showmissa proferida na esplanada dos ministérios instantes após sua chegada em Brasília.

JOÃO 8:6
Além de atrair autoridades políticas evangélicas como José Alencar (Partido Republicano, OH) e a família Garotinho (Arena, RJ), o evento também contou com a participação de celebridades como Mara Maravilha e Baby do Brasil, agora rebatizadas como apóstola Sarah Maravilha e apóstola Baby do Alasca. Esta pontificou longa e entusiasmadamente sobre a sua nova religião: “Gente, o que Sarah está nos trazendo é uma mensagem de amor. Chega de moral do escravo, chega de ser humilhado. O nosso amigão Jesus foi o primeiro atirador! Foi ele quem disse “atire a primeira pedra”. Então nós estamos aqui para atirar não só a primeira como quantas balas forem necessárias. Chega de intelectuais nos dizendo o que fazer. Deixamos as coisas nas mãos deles e deu no que deu. Vamos lá, minha gente, Sarah que eu te escuto!”

PAÍS TROPICAL
Doutrinariamente, a seita americana não se diferencia muito da Igreja Universal do Reino de Deus e da Igreja Internacional da Graça Divina, duas das maiores facções neopentecostais do Brasil. Todas são difusoras da “teologia da prosperidade”, exegese dos textos bíblicos que compreende que aqueles que são verdadeiramente fiéis a Deus devem se esforçar e gozar de condições de vida confortáveis. É em termos de ambições políticas que a Sarah Nossa Palin se desprende de suas congêneres autóctones: há uma plataforma enxuta e estruturada ao redor da questão do direito a todo cidadão de portar uma arma, da causa antiaborto e da confirmação da inexistência do aquecimento global. Em seu primeiro discurso em território brasileiro, a carismática Palin afirmou que “num país de clima tão ameno como esse é fácil de perceber que o aquecimento global nada mais é do que uma artimanha da elite liberal, sempre com suas pesquisas e planilhas, para nos forçar a andar em carros pequenos “de mulherzinha”, além disso, gostaria de lembrar que se a freira Dorothy Stang portasse um fuzil ela não estaria morta agora.”